RSS

Arquivo mensal: setembro 2012

Carpas – um pouco da mitologia oriental

Que ninguém duvide do quanto as crenças do povo japonês podem nos valer como incentivos para o nosso dia-a-dia. Por isso, hoje vamos falar do significado das carpas (Koi) segundo a tradição japonesa. Reza a lenda que, na época da desova, o peixe tinha que atingir a fonte do rio que corta a China, o Huang Ho (Rio Amarelo). Para tal, tinha que nadar contra a correnteza e saltar cascatas até à montanha Jishinhan. Assim, se a carpa alcançasse o topo tornava-se um dragão.

Dessa forma, acredita-se que a carpa subindo significa força, coragem e determinação para alcançar objetivos e superar dificuldades; e a carpa descendo significa objetivos alcançados, cumpridos. Por causa dessa simbologia é comum as pessoas tatuarem seus corpos com o desenho da espécie.

Para refletir

Outra característica interessante das carpas é que elas podem adaptar seu tamanho de acordo com o meio em que crescem. Sob esse olhar, o escritor brasileiro Paulo Coelho nos traz ótimas reflexões. Veja só o que ele diz:

“A carpa japonesa (koi) tem a capacidade natural de crescer de acordo com o tamanho do seu ambiente. Assim, num pequeno tanque, ela geralmente não passa de cinco ou sete centímetros – mas pode atingir três vezes este tamanho, se colocada num lago. Da mesma maneira, as pessoas têm a tendência de crescer de acordo com o ambiente que as cerca. Só que, neste caso, não estamos falando de características físicas, mas de desenvolvimento emocional, espiritual e intelectual. Enquanto a carpa é obrigada, para seu próprio bem, a aceitar os limites do seu mundo, nós estamos livres para estabelecer as fronteiras de nossos sonhos. Se somos um peixe maior do que o tanque em que fomos criados, ao invés de nos adaptarmos a ele, devíamos buscar o oceano – mesmo que a adaptação inicial seja desconfortável e dolorosa”.

Assim como o escritor, a gente sabe que não é uma tarefa fácil, mas não impossível. Se inspire em mais essa fascinante história da sabedora oriental, a equipe do Kiboo Sushi torce para que você também alcance os seus objetivos.

Com informações: http://www.japaoemfoco.com.br

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em setembro 22, 2012 em Cultura Oriental

 

Tags: , , ,

Sorvete, outra delícia da China

Nem precisar esperar o verão chegar, basta o tempo esquentar e logo vem aquela vontade de tomar um sorvete. Mas há também quem goste dessa delícia gelada em qualquer época do ano. Mas, você sabia que essa guloseima veio da China? E que o sorvete que consumimos hoje teve sua origem em uma mistura de neve e frutas feita há muitos séculos?

Há mais de três mil anos

Os registros mais contundentes sobre o nascimento desta iguaria revelam que há mais de três mil anos os chineses já faziam uma espécie de doce gelado com neve e frutas. Para tanto, tinham uma técnica especial de congelamento artificial e que deu origem às caldas geladas árabes chamadas de sharbet, e que, por sua vez, mais tarde se transformaram nos famosos sorvetes franceses sem leite, os sorbets. É o que conta a Associação Brasileira da Indústria do Sorvete (Abis).

É, mas a história não para por aí. De acordo com a fabricante de sorvetes Kibon, o doce chinês surgiu de uma disputa entre os cozinheiros do palácio real que buscavam eleger o inventor da receita mais saborosa e original. A vencedora foi uma mistura de neve das montanhas, suco de frutas e mel, servida ainda gelada.

Brasil

Em terras brasileiras, o doce chegou por meio de um navio norte-americano que aportou no Rio de Janeiro, em 1835, com 270 toneladas de gelo. Na época, dois comerciantes compram o tal carregamento e passaram a vender sorvetes de frutas. Nascia então a primeira sorveteria brasileira.

Mas foi apenas em 1941 que o gelado passou a ser produzido em escala industrial no país, quando foi fundada na capital fluminense a U.S. Harkson do Brasil, nos galpões da falida fábrica Gato Preto. A fábrica, já com o selo Kibon, iniciou sua distribuição em 1942 com seus carrinhos espalhando-se por toda a cidade. E, logo depois, pelo país inteiro.

Essa é mais uma delícia – gastronômica e cultural – da China que a equipe do Kiboo Sushi traz pra você. Até semana que vem!

Fontes: http://www.bbel.com.br; http://www.buongelatto.com.br

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 19, 2012 em Curiosidades da culinária

 

Tags: , ,

Shichi Fukujin, os sete deuses da sorte

Shichi Fukujin são os sete deuses da sorte e da fortuna e precursores de conhecimento, riqueza, saúde, prosperidade, entre outros. Fazem parte da mitologia e da tradição japonesa relacionada ao Ano Novo – o Shougatsu. Assim como para nós, o Papai Noel e seu trenó, juntamente com as renas são referências do Natal, os sete deuses em sua arca, o Takarabune, que é o mesmo que arca do tesouro, são referências do Réveillon no Japão para trazer presentes, fortuna, felicidade e sorte.

Assim, é comum colocar uma imagem com as sete divindades na arca do tesouro, debaixo do travesseiro, na noite festiva, para trazer sorte para o ano que está começando. Outro fato interessante é que, entre os sete deuses, apenas o Ebisu um tem sua origem naquele país. Os outros seis são originários de outras culturas, como China e Índia, sendo assimilados ao longo dos séculos pela mitologia e cultura japonesa.

Conheça o sete deuses

Fukurokuju: Deus da felicidade, sabedoria, longevidade e fertilidade
Hotei: Deus da felicidade e abundância
Juroujin: Deus da longevidade
Bishamon: Deus da guerra e dos guerreiros
Ebisu: Deus dos pescadores, comércio e riqueza
Benzaiten: Deusa das artes e do conhecimento
Daikokuten: Deus da riqueza e prosperidade

Ebisu

O único com origem japonesa, o nome de nascimento é Hiruko e, segundo a crença, nasceu sem ossos, por causa da transgressão de sua mãe durante o ritual de casamento. Por ter nascido muito fraco e não conseguir andar, foi lançado ao mar em um barco antes de completar seu terceiro aniversário.

Um ainu – ou melhor, um índio. Sim, eles existem lá também – chamado Ebisu Saburo o encontrou e o salvou. Dessa forma, por ter vindo do mar é o deus guardião das viagens marítimas e também das plantações de arroz e agricultura em geral.

É considerado, ainda, o Deus dos pescadores, do oceano, e de crianças pequenas. Sua imagem é sempre relacionada a uma vara de pescar na mão direita e um peixe grande na esquerda. É dito ser filho de Daikokuten (Deus da riqueza e prosperidade) e, por isso, é frequentemente associado com ele.

Como se vê, a terra do sol nascente, assim como o nosso querido Brasil tem, na sua cultura, a crença em vários deuses. E viva a diversidade cultural de cada povo!

Fonte: Com informações http://www.japaoemfoco.com

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 8, 2012 em Cultura Oriental

 

Tags: , , , ,

Agora tem Rodízio Gold no Kiboo Sushi!!

Image

Agora o Kiboo Sushi traz para você pratos ainda mais saborosos para o rodízio!!

Com sashimi, temaki, sushis especiais e outras delícias,

o Rodízio Gold é a grande novidade da casa para setembro!! 😉

Venha e aproveite!!

 
Deixe um comentário

Publicado por em setembro 5, 2012 em Novidades Kiboo

 

Tags: , ,

 
%d blogueiros gostam disto: